Aqui onde a vida dobra a esquina, a gente se fala... e se refugia do desinteressante...
Porque tudo é uma questão de opção. Assim podemos ser cidadãos do mundo, carregando sóis gelados e luas coloridas. Podemos ter olhos para o bem estar alheio e estocar imensos pacotes de riso fresco. Não se iludir... mas fantasiar. Ser um sim dos momentos vagos, um enorme talvez das possibilidades. Enxergar tudo que gostamos e "passar batido" pelo que não apreciamos. Ser de empréstimo, de "por acaso", eternos olás de distribuição gratuíta ou pequenos adeuses restritos... Ser um moinho de vento. Até quem sabe, e por que não, o último biscoito do pacote?

13 de jun de 2009

DEVEMOS AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO











E eu tento. Tento amar as pessoas como elas são, mas tem algumas pessoas que se parecem tanto comigo!!!! Têm mil faces e em cada face que exibem mostram um encanto. E, em cada encanto que mostram escondem as galerias subterrâneas de suas sombras, de suas escuridões não traduziveis... Amar essas pessoas é fácil para mim, dadas as semelhanças entre nós. Parabéns pra mim, porque eu consegui trazer você pra minha vida. Você, com seus amontoados de "eus" errantes, com seu baú de tesouros tão nossos. A música emaranha-se nos nossos assuntos, a familia, o riso, a "pompa e circunstância", as descobertas solitárias que, em algum momento, a gente acaba partilhando: os restaurantes novos, uma loja exótica, um filme fabuloso, um show, um email.
Eu amo a pessoa que você é e no meu testamento você herdará meu quadro politico. Acredito que herdará algum livro também (talvez aquele do Talmude, lembra?). Mas no momento, enquanto penso num presente pra te dar (no seu presente eu sempre tenho que pensar porque não pode ser qualquer coisa garimpada às pressas em uma loja de departamentos, pra te agradar tem que vir com algo inusitado, com algo que quando você olhar, vai lembrar, sem falar nada, de quem deu) eu deixo aqui meu obrigada por você existir na minha vida. Feliz aniversário Ana P.