Aqui onde a vida dobra a esquina, a gente se fala... e se refugia do desinteressante...
Porque tudo é uma questão de opção. Assim podemos ser cidadãos do mundo, carregando sóis gelados e luas coloridas. Podemos ter olhos para o bem estar alheio e estocar imensos pacotes de riso fresco. Não se iludir... mas fantasiar. Ser um sim dos momentos vagos, um enorme talvez das possibilidades. Enxergar tudo que gostamos e "passar batido" pelo que não apreciamos. Ser de empréstimo, de "por acaso", eternos olás de distribuição gratuíta ou pequenos adeuses restritos... Ser um moinho de vento. Até quem sabe, e por que não, o último biscoito do pacote?

17 de mai de 2009

DOMINGO DE SOL


Domingão de sol... Araraquara fria e tranquila... Dia de família, almoço demorado e mais tarde música ao vivo na praça do DAAE, que a gente, aqui em casa, chama de "Fontinha". Tomar uma coca cola, passear entre as barraquinhas de artesanato, sentar embaixo das imensas e centenárias arvores enquanto um pessoal canta no palco novinho que a Prefeitura providenciou. Comer pipocas, olhar a tarde anoitecer, a vida passar naquele vai e vem tranquilo de domingo a tarde. Bom estar aqui... Estive aqui desde a infância e a "fontinha" foi palco de tanto em minha vida! A "fontinha" é um cinema onde assisto o desdobramento de mim mesma, onde as lembranças passam preguiçosas e cintilantes por minha mente. E assim como em mim, o tempo acrescentou melhoramentos nesse lugar tão eu. Nota dez pro domingão de sol e pra "fontinha", porque eles merecem.